18.3 C
Pinhel
21 Junho, 2022
Início Blog

Marchas regressam ao polidesportivo da EB2 de Pinhel

As “Marchas Populares” realizam-se sexta-feira e serão protagonizadas pelos alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico do concelho.

Alunos do concelho de Pinhel vão protagonizar as “Marchas Populares”, que estão agendadas para sexta-feira.

Segundo o município de Pinhel as “Marchas Populares” realizam-se pelas 21 horas e serão protagonizadas pelos alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico do concelho.

“A iniciativa vai ter lugar no Polidesportivo Descoberto da EB2 de Pinhel, numa homenagem às tradições populares, que será também um momento de convívio entre a comunidade educativa, que deste modo encerra o ano letivo 2021/2022”.

Inauguração do Polo do Centro do Observatório Nacional do Envelhecimento no IPG

O primeiro Polo do Observatório Nacional do Envelhecimento (ONE) da região é criado hoje no Instituto Politécnico da Guarda (IPG), às 10h30, e conta com a presença da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

“Este novo Polo, o primeiro a ser inaugurado fisicamente, representa uma aposta do ONE e da Academia das Beiras, em aproximar a região do interior, onde o envelhecimento populacional será o desafio da década” como explica o Politécnico da Guarda.

O Observatório Nacional de Envelhecimento é coordenado pelo Algarve Biomedical Center (ABC), pela NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa e pela Universidade do Porto, e “pretende dinamizar a colaboração entre instituições públicas, privadas e sociedade civil para o estudo do envelhecimento” acrescenta a mesma fonte. Esta iniciativa é integrada ainda por vários parceiros e entidades públicas e privadas.

De resto, o ONE tem como objetivo promover a investigação e conhecimento que permitam avaliar e desenvolver o envelhecimento ativo e saudável, adequando as prioridades e avaliando as políticas públicas nas várias áreas impactantes no envelhecimento, principalmente na área social, do trabalho, da saúde, da transição para a reforma, da educação e da formação ao longo da vida, da participação cultural e cívica em função do território, das necessidades e das dinâmicas da população.

Campanha “Cinto-me Vivo” decorre até 27 de junho

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam amanhã, dia 21 de junho, a Campanha de Segurança Rodoviária “Cinto-me vivo”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2022.
A decorrer entre os dias 21 e 27 de junho, a campanha tem como objetivo alertar condutores e passageiros para a importância de utilizarem sempre, e de forma correta, os dispositivos de segurança.
Numa colisão, um veículo para numa fração de segundo. Mas os ocupantes, caso não usem cinto de segurança, continuam a seguir na direção do movimento com uma velocidade igual à que seguia o veículo no instante inicial do acidente. Numa colisão frontal a 50 km/h, um condutor com 70kg, sem cinto de segurança, sofre um impacto equivalente a uma queda livre de um terceiro andar.
O uso do capacete de modelo aprovado, devidamente apertado e ajustado, reduz em 40% o risco de morte em caso de acidente.
Está igualmente comprovado que a utilização correta de cadeirinha homologada e adaptada ao tamanho e peso da criança, reduz em 50% o risco de morte. Em crianças até aos 18 Kg, a utilização de uma cadeirinha voltada para a retaguarda, combinada com a utilização de cinto de segurança, reduz até 90% o risco de lesões graves ou morte.
A campanha “Cinto-me Vivo” integrará:
 Ações de sensibilização da ANSR em território continental e dos serviços das administrações regionais das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores;
 Operações de fiscalização pela GNR e pela PSP, com especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário e de acordo com o Plano Nacional de Fiscalização 2022, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores no que tange à correta utilização dos dispositivos de segurança.
A ANSR, a GNR e a PSP relembram que a utilização dos dispositivos de segurança é fundamental e apelam a todos para que os utilizem de forma correta:
 Utilize sempre uma cadeirinha homologada, devidamente instalada, e adaptada à altura e peso da criança;
 Utilize sempre o cinto de segurança, em todos os lugares do veículo, e em todos os percursos, mesmo nos de curta distância;
 Utilize o capacete de modelo aprovado, devidamente ajustado e apertado.
A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.

lançam amanhã, dia 21 de junho, a Campanha de Segurança Rodoviária “Cinto-me vivo”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2022.

A decorrer entre os dias 21 e 27 de junho, a campanha tem como objetivo alertar condutores e passageiros para a importância de utilizarem sempre, e de forma correta, os dispositivos de segurança.
Numa colisão, um veículo para numa fração de segundo. Mas os ocupantes, caso não usem cinto de segurança, continuam a seguir na direção do movimento com uma velocidade igual à que seguia o veículo no instante inicial do acidente. Numa colisão frontal a 50 km/h, um condutor com 70kg, sem cinto de segurança, sofre um impacto equivalente a uma queda livre de um terceiro andar.
O uso do capacete de modelo aprovado, devidamente apertado e ajustado, reduz em 40% o risco de morte em caso de acidente.
Está igualmente comprovado que a utilização correta de cadeirinha homologada e adaptada ao tamanho e peso da criança, reduz em 50% o risco de morte. Em crianças até aos 18 Kg, a utilização de uma cadeirinha voltada para a retaguarda, combinada com a utilização de cinto de segurança, reduz até 90% o risco de lesões graves ou morte.
A campanha “Cinto-me Vivo” integrará:
 Ações de sensibilização da ANSR em território continental e dos serviços das administrações regionais das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores;
 Operações de fiscalização pela GNR e pela PSP, com especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário e de acordo com o Plano Nacional de Fiscalização 2022, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores no que tange à correta utilização dos dispositivos de segurança.
A ANSR, a GNR e a PSP relembram que a utilização dos dispositivos de segurança é fundamental e apelam a todos para que os utilizem de forma correta:
 Utilize sempre uma cadeirinha homologada, devidamente instalada, e adaptada à altura e peso da criança;
 Utilize sempre o cinto de segurança, em todos os lugares do veículo, e em todos os percursos, mesmo nos de curta distância;
 Utilize o capacete de modelo aprovado, devidamente ajustado e apertado.
A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.

Verão começa hoje

O verão começa esta terça-feira com previsões de céu muito nublado, chuva em algumas regiões do país e temperaturas a oscilar entre os 16 e os 25 graus Celsius, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O solstício de verão começa às 10h14 (hora de Lisboa), precisa o Observatório Astronómico de Lisboa.

As previsões do IPMA para este primeiro dia de verão são de períodos de céu muito nublado, aguaceiros nas regiões do Norte e Centro e Alto Alentejo e vento fraco a moderado do quadrante oeste, soprando por vezes forte nas terras altas.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 7 graus Celsius (na Guarda) e os 14 (em Aveiro e Faro) e as máximas entre os 16 (na Guarda) e os 25 graus (em Faro).

O verão vai terminar no dia 23 de setembro, com a entrada do outono, às 2h04.

Comemorações do Feriado Municipal de Celorico da Beira

O município de Celorico da Beira celebra o Feriado Municipal a 23 de maio, data de aniversário do nascimento de Sacadura Cabral mas, este ano, no âmbito das Comemorações do Centenário da Travessia Aérea do Atlântico Sul, as festividades decorrerão de 20 e 23 de maio, “com o intuito de prestar tributo ao ilustre filho da terra e reconhecer e propagar o seu feito épico” como explica a edilidade.

O município vai promover durante quatro dias, diversas atividades de cariz lúdico-pedagógico, científico e cultural, subordinadas à temática de Sacadura e/ou das Travessia, que exigirão a envolvência da população, entre as quais um simpósio, exposições, espetáculos de música, dança e teatro e a apresentação de dois livros.

19ª Feira do Livro de Pinhel começa esta quarta-feira dia 18

A caminho de completar 20 anos, a 19ª edição da Feira do Livro de Pinhel vai ter lugar no Parque Urbano de Pinhel, de 18 a 22 de maio (quarta a domingo), com um programa que contempla encontros com autores, música, teatro e poesia.
A inauguração, a 18 de maio (quarta-feira), pelas 21.30h, será acompanhada de uma breve performance teatral a cargo do Teatro do Imaginário, do Grupo de Amigos do Manigoto (concelho de Pinhel).
Para os mais novos, que irão visitar o certame dos dias 19 e 20, está previsto o Encontro com autora de literatura infantil Manuela de Castro Neves.
A Poesia chega no dia 19 de maio, às 21.30h, com o espetáculo Facas na Língua com Rui Spranger, acompanhado pelo músico Rui David.
Já na sexta-feira, dia 20 de maio, alunos e professores da Academia de Música de Pinhel regressam à Feira do Livro para dar música aos leitores.
No dia 21 de maio, sábado, às 15.00h, destaque para a apresentação do livro “Pinhel e Aldeya Lourenço na História de Portugal”, de António Santos Gama, autor pinhelense. À noite, a animação fica por conta de Patrícia Salema e convidados.
No último dia, domingo, 22 de maio, a Feira do Livro recebe o autor Pedro Chagas Freitas, bem conhecido do grande público.

Paulo Langrouva nomeado vogal da direção do IEFP

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social nomeou em regime de substituição Adelaide Franco e Paulo Langrouva para presidente e vogal do IEFP, respetivamente, “pelos seus perfis e curricula”, disse fonte oficial à Lusa.

“Foram avaliadas várias pessoas para garantir o regular funcionamento do IEFP [Instituto do Emprego e Formação Profissional], tendo sido nomeados Adelaide Franco e Paulo Langrouva pelos seus perfis e curricula”, afirmou fonte oficial do ministério, acrescentando que os dois responsáveis “foram os únicos nomeados”.

As nomeações de Adelaide Franco e de Paulo Langrouva em regime de substituição, noticiadas pelo Jornal de Negócios na quarta-feira, acontecem depois de, em 06 de dezembro 2021, terem terminado as comissões de serviço do então presidente do IEFP, António Valadas da Silva, e de um dos vogais do instituto.

Em março de 2022, segundo um despacho publicado pelo anterior governo, António Valadas da Silva iria manter-se em funções até ser concluído o concurso de recrutamento pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP).

O concurso público foi aberto em 01 de abril e as candidaturas encerraram em 14 de abril, estando ainda o processo “em avaliação” pela CRESAP.

“No dia 30 de abril o presidente do conselho diretivo [António Valadas da Silva] teve de cessar funções por aposentação, deixando o IEFP de ter o quórum necessário para deliberar”, disse fonte oficial do gabinete liderado pela ministra Ana Mendes Godinho.

Segundo o ministério, “uma vez que o procedimento concursal ainda não se encontra concluído pela CReSAP foi necessário, para não comprometer o normal funcionamento deste organismo, nomear em regime de substituição o lugar de presidente e vogal do Conselho Diretivo do IEFP”.

Os despachos relativos às nomeações aguardam publicação em Diário da República, acrescentou.

Questionado sobre se os dois nomeados são candidatos ao concurso aberto em abril pela CReSAP, o gabinete da ministra afirmou que “os concursos da CReSAP decorrem de forma autónoma, não se conhecendo os candidatos até à decisão final de designação”.

De acordo com o Jornal de Negócios, Adelaide Franco era desde de 2019 consultora na MindsetPlus, depois de uma experiência de quinze anos em cargos diretivos da Microsoft, nomeadamente na área da educação, e foi vice-presidente do Instituto Português da Juventude no final dos anos noventa (96-97).

Já Paulo Langrouva foi presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, pelo PS, entre 2013 e 2021, e é desde 1998 técnico superior do IEFP.

Sobre o cargo de vice-presidente do IEFP, que por sua vez ficou vago com a saída de António Leite para o Governo, como secretário de Estado da Educação, o ministério refere que “o Governo procederá, naturalmente, ao pedido de abertura de procedimento concursal (…), como aliás tem feito em todas as situações”.

No âmbito do Ministério do Trabalho decorrem ainda os concursos para os cargos de inspetor-geral da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) e de diretor-geral da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT).

Estes cargos “estão a ser assegurados em suplência e em substituição, respetivamente, enquanto decorrem os respetivos procedimentos concursais na CReSAP”, referiu o gabinete.

 

PSP abre candidaturas. Maiores de 18 podem concorrer

O ministro da Administração Interna admite que existe um problema no recrutamento de novos elementos para a PSP: não tem havido candidatos suficientes para as vagas disponíveis. Por isso, uma das primeiras medidas que tomou, foi antecipar a idade de candidatura para os 18 anos.

Numa audição no âmbito da apreciação da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), José Luís Carneiro revelou que o Governo pretende adotar “novos requisitos de admissão para os candidatos à Polícia de Segurança Pública”, para “criar uma maior motivação e atratividade das forças e serviços de segurança”.

A redução, de 19 anos para 18 anos, do limite de idade dos jovens que queiram candidatar-se a agentes da PSP, como já acontece na GNR, é uma dessas medidas, que constam de uma portaria a publicar em Diário da República.

“O aumento da idade máxima de admissão para os 30 anos – atualmente são 27 anos – é outras das alterações aprovadas por José Luís Carneiro nos requisitos de admissão ao curso de formação de agentes da PSP, as quais permitem alargar igualmente o universo de potenciais candidatos àquela força de segurança”, precisou.

Outra das alterações é a aceitação de candidaturas de quem ainda está a frequentar o 12.º ano de escolaridade, embora mantendo-se a obrigatoriedade da sua conclusão até ao início do curso de formação da PSP.

A portaria vai contemplar também a atualização e agilização dos métodos de seleção da PSP, que incluem provas físicas, provas académicas e de avaliação psicológica, assim como uma entrevista profissional de seleção e exames médicos.

“As entrevistas profissionais vão permitir igualmente estabelecer um prognóstico de adaptação dos candidatos às exigências do exercício das funções policiais”, refere o MAI.

De acordo com o Governo, “a prova de conhecimentos, em termos de ponderação para definir a lista de ordenação final dos candidatos, passa a valer 60% (contra os atuais 50%), enquanto as provas de avaliação psicológica – até agora com cinco escalas de valoração e tendo um peso de 25% na ponderação para a lista final de candidatos – vão ser avaliadas nos mesmos termos das provas físicas e do exame médico: apto e não apto”.

Sem responder diretamente às acusações de que o Governo não irá conseguir cumprir a meta traçada pelo anterior ministro Eduardo Cabrita, de incorporar mais 10 mil efetivos na PSP e na GNR até 2023, José Luís Carneiro contrapõe com os números previstos para o ano. Das 2.600 vagas que promete abrir este ano, 1.000 serão para a PSP e 1.600 para a GNR.

Lusa

Fim de semana com temperaturas acima dos 30 graus

As temperaturas máximas vão ultrapassar os 30 graus em muitas regiões de Portugal continental durante o fim de semana, prevendo-se um aumento do risco de incêndio.

“Hoje e amanhã [sábado] vamos ter uma subida gradual das temperaturas máximas. Teremos máximas em Portugal continental entre os 25 e os 33 graus, podendo até pontualmente ser superiores em algumas regiões do interior do Alentejo”, disse o meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Bruno Café, as temperaturas deverão permanecer elevadas na próxima semana, acima do normal para esta época do ano.

“Temos um anticiclone perto do Golfo de Biscaia que traz uma corrente de leste provocando este tempo mais quente e seco. Devido a esta situação e também pela ausência de precipitação, o risco de incêndio vai aumentar nos próximos dias”, explicou.

De acordo com Bruno Café, Lisboa deverá chegar no fim de semana aos 32 graus Celsius, Leiria 31, Braga 30 a 33 no Vale do Tejo e interior do Alentejo.

As temperaturas mínimas vão subir ligeiramente hoje e sábado, prevendo-se que rondem os 10 a 15 graus.

Máscaras deixam de ser obrigatórias, mas há exceções

O Governo anuncia que deixa de ser obrigatório o uso de máscaras nas escolas e em espaços fechados, exceto em locais com “pessoas especialmente vulneráveis” e nos transportes públicos, incluindo táxis e similares. O anúncio foi feito pela ministra da Saúde, Marta Temido.

A governante recorda, no entanto, que a pandemia “não acabou” e admite que, sazonalmente, podem vir a ser tomadas novas medidas.

Marta Temido recordou que os especialistas tinham aconselhado o fim do uso das máscaras perante determinados valores para a mortalidade e número de internados. A mortalidade a 14 dias situa-se neste momento nos 27,9, acima do valor estabelecido de 20 mortos por milhão de habitantes, mas o número de internados está “muito abaixo” dos limites previstos.

A medida entrará em vigor com a resolução do Conselho de Ministros desta quinta-feira. A ministra Vieira da Silva prevê que a publicação da resolução do Conselho de Ministros possa acontecer amanhã, depois de promulgada por Belém, entrando em vigor no dia seguinte à publicação.

Foi também revogado o regime do formulário de localização de passageiros, que deixa de ser de preenchimento obrigatório para passageiros de voos com passagem ou destino final em Portugal.

Na reunião do Conselho de Ministros desta quinta-feira decidiu ainda que prolongar até 5 de maio a situação de alerta devido à pandemia de Covid-19.

Publicações Recentes