Início Todos os Artigos Atualidade “Adega 23, reserva, tinto, 2018” vence 15º Concurso de Vinhos da Beira...

“Adega 23, reserva, tinto, 2018” vence 15º Concurso de Vinhos da Beira Interior

O galardão Melhor Vinho no Feminino foi atribuído a “Bodas Reais, branco, 2019”, o prémio de Melhor Imagem a “Quinta do Cardo, branco, 2021” e a distinção Melhor Imagem no Feminino a “Almeida Garrett, tinto, 2018”).

59

O vinho “Adega 23, reserva, tinto, 2018” recebeu o prémio de Melhor Vinho da Beira Interior do 15.º concurso de vinhos da região, organizado pela Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior (CVRBI), que tem sede na Guarda.

“Para além do Melhor Vinho da Beira Interior, o júri do concurso realizado na Guarda, nos dias 27 e 28 de junho, atribuiu ainda o prémio do Melhor Vinho no Feminino, o Prémio de Melhor Imagem, o Prémio de Melhor Imagem no Feminino, 14 medalhas de ouro e 10 medalhas de prata, num total de 84 vinhos a concurso, em representação de 30 associados da região”, referiu a CVRBI numa nota de imprensa hoje enviada à agência Lusa.

O galardão Melhor Vinho no Feminino foi atribuído a “Bodas Reais, branco, 2019”, o prémio de Melhor Imagem a “Quinta do Cardo, branco, 2021” e a distinção Melhor Imagem no Feminino a “Almeida Garrett, tinto, 2018”).

A cerimónia de anúncio dos vencedores e entrega dos prémios atribuídos no âmbito do 15.º Concurso de Vinhos da Beira Interior decorreu no sábado, em Vila Velha de Ródão, no distrito de Castelo Branco, e foi presidida pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Na sessão, o presidente da CVRBI da Beira Interior, Rodolfo Queirós, “enalteceu a resiliência dos associados da CVRBI nestes tempos difíceis e parabenizou todos os participantes no concurso, referindo que, com mais esta iniciativa, a notoriedade da Beira Interior saiu reforçada”.

“Reforçou, ainda, a importância deste tipo de eventos para a dinamização da Rota dos Vinhos da Beira Interior”, é salientado.

Por sua vez, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, “salientou a importância do setor vitivinícola para a coesão dos territórios, para a fixação de pessoas e captação de novos investimentos” e também “o papel da Rota dos Vinhos da Beira Interior como elo de ligação” entre o “vasto território da Beira Interior”.

O 15.º concurso de vinhos da Beira Interior, que decorreu no Solar do Vinho da Beira Interior, na cidade mais alta do país, contou com a participação de 84 vinhos tintos, brancos e rosados, vinhos espumantes e vinhos frisantes, “certificados como DOC (Denominação de Origem Controlada) Beira Interior ou como IG (Indicação Geográfica) Terras da Beira, das colheitas efetuadas entre os anos de 1999 a 2020, inclusive”.

O júri do concurso foi presidido pelo crítico de vinhos Aníbal Coutinho e por mais 16 especialistas na área (oito mulheres e oito homens).

O evento foi realizado nos moldes tradicionais de “prova cega”.

A CVRBI abrange as zonas vitivinícolas de Castelo Rodrigo, Pinhel e Cova da Beira, nos distritos de Guarda e de Castelo Branco, que correspondem a uma área de 20 municípios, onde se contabilizam cerca de cinco mil viticultores.

Na área da CVRBI, com perto de 16 mil hectares de vinhas e uma grande variedade de castas (destacando-se as brancas Síria, Arinto e Fonte Cal e as tintas Tinta Roriz, Rufete, Touriga Nacional, Trincadeira e Jaen), existem cerca de 60 produtores de vinho, sendo quatro adegas cooperativas e os restantes produtores particulares.