Início Todos os Artigos Última Hora Município de Pinhel preocupado com falta de médicos no centro de saúde...

Município de Pinhel preocupado com falta de médicos no centro de saúde de Pinhel, crítica a falta de abertura de vagas para a estrutura de saúde local

170

Em carta enviada à ministra da saúde, e à ULS Guarda,  o Município de Pinhel contesta falta de vagas para médicos de família na ULS Guarda e alerta para a situação do Centro de Saúde de Pinhel, que neste momento já tem em falta dois médicos, o que corresponde a 2373 utentes sem médico de família. No próximo ano mais três médicos deixam de poder continuar a exercer porque atingem os 70 anos. Rui Ventura, autarca local, diz que “cerca de 60 % da população do concelho vai ficar sem médico de família, se não se fizer nada”, o que é “uma tragédia”, diz o autarca.

Segundo o edil, “estão a alertar para o problema, para depois não terem que correr atrás do problema”.

O autarca pinhelense crítica a forma como são abertos os concursos para novos médicos, e afirma que é preciso que haja uma mudança de políticas.

“Enquanto abrirem vagas para médicos no litoral, eles não vêm para o interior. Este é um problema dos sucessivos governos. Enquanto não houver um comportamento correto para com o interior não vamos lá!”

No mesmo dia em que a Câmara de Pinhel se queixa da falta de médicos de família, a ULS Guarda anunciou que vai contratar 15 profissionais, sendo que 6 são para a especialidade de medicina geral e familiar.

João Barranca, presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde, fez este anúncio em conferência de imprensa, mas não falou do número de vagas que o ministério abriu para a ULS. No entanto, no início desta semana, em comunicado às redações, mostrou-se “surpreendido com o número de vagas atribuídas”.

Segundo Rui Ventura, João Barranca já respondeu à missiva mostrando-se preocupado, e garantiu a abertura de vagas para o centro de saúde de Pinhel.